JC (?) - É Errado ir pouco à Igreja?



É ERRADO IR POUCO À IGREJA???
Pergunta 1: Minha igreja realiza três cultos por semana, mas só vou em um. Isso é errado?
Resposta: Sim.

Pergunta 2: Por que isso é errado?
Resposta:
- Porque isso implica num envolvimento baixo com a igreja pela qual somos responsáveis como membros diante de Deus.
- Porque isso implica numa participação limitada nas experiências do corpo (o que nos faz ignorar suas lutas e dramas constantes).
- Porque isso nos torna crentes mais propensos a criticar a igreja, uma vez que impede que enxerguemos o quadro mais amplo que a leva a agir desta ou daquela maneira.
- Porque isso implica numa oferta pobre de serviço em prol da comunidade da fé reunida (Deus nos deu dons espirituais para serem usados em benefício da igreja).
- Porque isso implica no desperdício de oportunidades de ouvir Deus falando por meio de sua Palavra ao seu povo congregado.
- Porque isso implica na redução desnecessária da frequência com que se deve adorar a Deus coletivamente.
- Porque isso implica numa fonte de desânimo pra quem se prepara para pregar e ensinar e, enfim, acaba falando para bancos vazios.
- Porque isso implica numa mensagem às crianças, adolescentes e crentes novos que proclama que a frequência à igreja não é importante.
- Porque isso implica no crescimento de um espaço do nosso tempo que, muitas vezes, será preenchido com coisas secundárias que pouco edificam.
- Porque isso implica na ausência de um robustecimento doutrinário maior que fatalmente fará falta no trato com as questões que nos desafiam no curso da vida.
- Porque isso implica na diminuição das "chances" de Deus falar algo crucial a algum membro de nossa família que não estará presente num momento que poderia fazer diferença para sempre em sua vida.
- Porque isso implica numa contrapartida fraca diante do "ministério" do mundo que tenta nos envolver 24 horas por dia.
- Porque isso implica numa falta de intimidade com as "entranhas" da igreja, levando o crente a conhecê-la somente de forma superficial e tornando-se, assim, um membro menos relevante para ela do ponto de vista funcional.
- Porque isso implica na diminuição da reserva de homens que eventualmente possam compor a liderança eclesiástica, uma vez que não se pode investir nessa posição pessoas que só vão à igreja 3 ou 4 vezes por mês.
- Porque isso implica na demonstração de uma liderança masculina fraca no lar - uma liderança que falha em conduzir a família com zelo notável na direção daquilo que Deus requer do crente.
Autor: Pr Marcos Granconato.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »